(Minha) Lírica

Eu gosto naturalmente de palavras. Gosto do sentido das palavras, dos seus significados. Sou amante da escrita. Da filosofia. Da literatura. Da personificação, das metáforas, e dos duplos sentidos. Sou amante dos conteúdos.  Às vezes partilho frases, apenas porque gosto do seu sentido, da sua lírica. É bonito. A poesia das palavras… Às vezes escrevoContinuar lendo “(Minha) Lírica”

(Da) Inocência Das Palavras Não Ditas

Da inocência das palavras não ditas – o medo de exagerar – o medo vence tanta coisa que podia ser nossa, e que lhe entregamos deliberadamente, por não sermos antes o “exagero”.  Às vezes devíamos mesmo exagerar ! Cansar as palavras belas, desgastar a fantasia, exagerar nas coisas afáveis ! É, essas merecem que fiquemosContinuar lendo “(Da) Inocência Das Palavras Não Ditas”

Não Convencional

Receptiva, a uma intimidade não convencional, de uma mão não convencional, que agarre a minha mão de uma forma não convencional, mas firme. Sempre quis viver uma paixão desenfreada, não convencional, mas segura, resistente, firme como rocha em montanha alta, onde a aventura, a cumplicidade, e o acto selvagem de amar, é o cálice diário.Continuar lendo “Não Convencional”